Conjuntivite

O que é a Conjuntivite?

A conjuntivite é uma das causas mais comuns de olho vermelho nos consultórios de oftalmologia. A sua presença é tão alta que outras causas de vermelhidão nos olhos podem vir a ser deixadas de lado, o que é perigoso porque o médico pode não fazer um diagnóstico importante. 

Para termos uma ideia de como isso é comum, nos Estados Unidos estima-se que mais de 125 mil casos de Conjuntivite ocorrem todos os anos. Sendo que as crianças abaixo dos sete anos de idade e os adultos jovens são os mais acometidos. 

A Conjuntivite é a inflamação da membrana que cobre a esclera, a parte branca dos olhos, causando formação de secreção, vermelhidão e sensação de corpo estranho. A presença e a intensidade de cada um destes sintomas depende da causa da conjuntivite. 

Quais são as suas causas?

Infecção por bactéria

A Conjuntivite Bacteriana é causada pelas bactérias que já estão nas pálpebras e nos cílios, e, por algum motivo e desequilíbrio, atacam o olho em si causando vermelhidão e muita secreção. Neste tipo de conjuntivite, a secreção é abundante e a sua evolução é rápida. Geralmente evoluem bem com a administração de colírios antibióticos. 

Usuários de lentes de contato que não cuidam bem das suas lentes tem profundo impacto no aumento da conjuntivite bacteriana. Ou seja, são mais frequentes e potencialmente mais graves. 

Conjuntivite Neonatal

É importante ressaltarmos dois tipos de conjuntivite presentes no momento da criança nascer, uma delas é a Conjuntivite Neonatal por clamídia tracomatis – um agente infeccioso que pode estar contaminando a mãe. Durante os partos normais, o bebê pode se contaminar na passagem do canal vaginal. 

A criança passa apresentar secreção nos olhos entre cinco a quatorze dias após o nascimento, e ela precisa do diagnóstico desta doença precocemente. A conjuntivite Neonatal pode progredir nos olhos deixando cicatrizes oculares, ela também pode espalhar-se para os pulmões do bebê e provocar pneumonia. 

Outra causa da infecção bacteriana da conjuntiva, e que vem ganhando muito espaço nos últimos anos, é a Conjuntivite Gonocócica, que aparece nos pacientes portadores de Gonorreia. Esta bactéria tem um comportamento agressivo, sendo capaz de perfurar o olho se não diagnosticada e tratada com antibiótico rapidamente.

A frequência da Conjuntivite Gonocócica vem aumentando porque as pessoas, de uma forma geral, estão diminuindo os cuidados em relação à prevenção das doenças sexualmente transmissíveis. O colírio de Nitrato de Prata, embora possa irritar o olho do bebê, pode eliminar o gonococo  logo no nascimento, já que a criança pode ser infectada pela bactéria ao nascer. 

Infecção por vírus 

Por adenovírus

As conjuntivites virais mais comuns estão associadas aos adenovírus, um vírus que também causa gripe. Inclusive, muitos pacientes que passam por uma gripe comum podem, depois de alguns dias, desenvolver conjuntivite pelo adenovírus. 

A conjuntivite causada pelo adenovírus pode deixar cicatriz na córnea e, em alguns casos, levam a marcas irreversíveis. O acompanhamento oftalmológico é imprescindível nestes casos. 

Por herpes

Você já ouviu falar de herpes simples? Este vírus tão comum, e que aparece na boca na maioria das pessoas, é capaz de provocar conjuntivites que podem atacar a córnea e outras estruturas do olho, causando cegueira. 

Saber se você tem Herpes é uma informação muito importante para o seu oftalmologista avaliar as possíveis causas dessa doença.

Com a epidemia que passamos, casos de Conjuntivite pelo novo Coronavírus também foram reportados, e entram um diagnóstico diferencial das conjuntivites virais. 

A Conjuntivite, quando não tratada, pode desenvolver doenças como o Ceratocone. Fique atento!

Conjuntivite alérgica 

Uma causa não infecciosa é a alérgica. Você ou seu filho são alérgicos? Tem asma ou rinite? A conjuntivite alérgica acomete principalmente as crianças pequenas e adultos que carregam desde pequenos outros quadros de alergia. 

Um sintoma que chama atenção é a coceira ocular intensa, ela pode propiciar o aparecimento de outras doenças oculares como o deslocamento de retina e o ceratocone. Esta última, uma doença em que a córnea fica deformada e afina com o passar do tempo. Ela leva ao aparecimento de Astigmatismo e Miopia com piora progressiva da visão, onde 20% dos pacientes com o diagnóstico acabam realizando transplante de córnea. 

Por produto químico

Você já teve contato ocular com alguma substância química? Aqui vamos destacar a inflamação induzida por fatores externos, como produtos químicos, cloro da piscina, maquiagem e fumaça. Dependendo da exposição essa doença pode ser muito grave, por isso, se este contato acontecer, lave bem os olhos com água corrente ou soro fisiológico e rapidamente procure um oftalmologista. 

Por Olho Seco

Uma causa muito comum da doença é o Olho Seco, que também pode desenvolver uma conjuntivite crônica em portadores de doenças reumatológicas. A conjuntiva apresenta pequenas abrasões que geram vermelhidão e sensação de corpo estranho. 

Pacientes portadores de doenças reumatológicas, como Artrite e Reumatóide, são muito mais acometidos pelo Olho Seco. Com relação à prevenção, cada quatro terá a sua abordagem. 

Como prevenir?

Em casos de conjuntivite infecciosa, os materiais pessoais da pessoa acometida precisam ser separados e ele deve lavar as mãos frequentemente. Na alérgica é preciso identificar o agente que piora o quadro, como perfumes, ácaros, produtos de limpeza e pelos de animais. 

Conheça a Oftalmologia Integrada

O Sistema de Oftalmologia Integrada é uma rede de clínicas voltadas exclusivamente à Oftalmologia. Desde o início, nossos esforços estão em prestar um atendimento integral por meio de prevenção, diagnósticos precisos e tratamentos clínicos e cirúrgicos resolutivos.

Atualmente, a Oftalmologia Integrada atua em 3 grandes polos de saúde, Serra Gaúcha, Porto Alegre e Região Metropolitana, promovendo de modo sustentável e inovador a gestão de recursos na assistência oftalmológica.

Navegue pelo site e conheça os nossos serviços, convênios, especialidades e outros artigos que podem ajudar  a esclarecer as suas dúvidas sobre as doenças mais comuns de serem diagnosticadas nos consultórios oftalmológicos. E, se precisar, fique a vontade para entrar em contato conosco e agendar uma consulta

Categorias

Compartilhe nas suas Redes:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on skype
Skype

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Fique por dentro de todas as novidades do nosso portal

Hipermetropia

O que é a Hipermetropia?

A Hipermetropia pode acontecer sozinha ou associada ao Astigmatismo, sendo mais comum do que as pessoas imaginam, Estima-se que 30 a 40% da população brasileira têm algum grau de Hipermetropia – o que equivale, em média, a uma a cada três pessoas. Em outras partes do mundo esta porcentagem pode aumentar, chegando a atingir até 50% da população.

Ver Notícia Completa »