Hipermetropia

Hipermetropia: explicando as principais dúvidas

No texto de hoje vamos falar um pouco mais sobre a o que é a Hipermetropia, um dos problemas visuais mais comuns no mundo e que também precisa da sua atenção. Siga na leitura e confira:

Quando você deve suspeitar que tem Hipermetropia?

Os principais sintomas de Hipermetropia são baixa visão para perto e dor de cabeça, especialmente na área próxima aos olhos e na testa – por conta do esforço acomodativo que a pessoa precisa fazer durante uma leitura, por exemplo.

Geralmente a queixa é mais percebida na utilização da visão de perto, embora a Hipermetropia possa atingir a visão de longe a depender do grau e idade do paciente. A Hipermetropia pode se desenvolver sozinha ou associada ao astigmatismo, sendo mais comum do que as pessoas imaginam. 

Estima-se que trinta a quarenta por cento da população brasileira têm algum grau de hipermetropia e, em algumas outras populações, esse número pode chegar a cinquenta por cento. Ou seja, é muito comum. 

O que causa a Hipermetropia?

O que causa a Hipermetropia é uma localização erronea da projeção da imagem captada pela córnea. Antes de explicar esse problema, precisamos entender como a visão acontece: 

A imagem que vemos passa pela córnea e no cristalino para chegar na retina, que é um ponto específico do olho humano. A retina tem comunicação com o nervo que vai levar a informação captada para o cérebro, onde a imagem vai ser processada. 

Pacientes com Hipermetropia apresentam um problema na localização da projeção da imagem e, quando o hipermétrope vê de longe, a imagem é projetada atrás da retina. Com isso, a pessoa puxa a imagem com a ajuda do esforço acomodativo à retina e, assim, passa a enxergar bem. 

Quando o hipermétrope tenta enxergar de perto, essa imagem é projetada ainda mais adiante da retina e faz com que o esforço de tentar colocar a imagem no local correto seja muito maior. 

Como a Hipermetropia acontece?

A Hipermetropia é o contrário da Miopia, onde a imagem fica à frente da retina e dentro do olho. Normalmente nascemos hipermétropes porque o globo ocular é fisicamente menor nos bebês e essa característica, se for leve, não é ruim. À medida que o bebê vai crescendo o globo ocular cresce, diminuindo gradativamente a hipermetropia. 

Imagine uma criança que tenha pouca hipermetropia ao nascimento, ou seja, o globo ocular dela tem quase o tamanho do olho de um adulto já formado. Ela tem uma chance maior de aparecimento de Miopia logo na infância, já que o seu globo ocular tem a probabilidade de ficar ainda maior durante o crescimento. 

Os olhos míopes são grandes, e essa hipermetropia ao nascimento funciona como uma reserva funcional para que o crescimento normal do globo infantil seja feito de maneira adequada. Podemos usar esse exemplo para explicar a principal causa de hipermetropia, que é ter os olhos pequenos. 

Quais são as suas causas?

Outras causas comuns para o desenvolvimento da hipermetropia são a cirurgia de catarata e de correção de miopia, que podem gerar hipermetropia residual. As crianças podem apresentar hipermetropia de dois a até três graus, e ela pode ser normal como explicamos anteriormente. Mas existem casos em que isso não é normal e, por isso,deve ser tratado o quanto antes. 

Hipermetropia em crianças é grave?

Hipermetropia
Saiba como a Hipermetropia pode acometer as crianças!

A Hipermetropia em crianças quando leve, de aproximadamente dois a três graus, pode apenas ter o seu comportamento observado pelo médico – e sem a prescrição de óculos. Mas se a criança apresentar um grau maior que esse, ou apresentar estrabismo, é possível que ela precise usar óculos ou tampões para o desenvolvimento normal desse olho. 

Se o olho com a alteração não for estimulado até os oito anos de idade, ele não se desenvolve adequadamente e o resultado disso é que a criança ficará com Ambliopia – a deficiência permanente nos olhos. Mas se, por outro lado, for feito o diagnóstico precoce, corrigido e estimulado, o olho se desenvolve bem. 

Se tratanto da Hipermetropia em crianças, a consulta ao médico oftalmologista a partir dos seis meses de idade é imprescindível para que qualquer alteração encontrada possa ser diagnosticada e tratada logo cedo. 

Como é feita a correção da Hipermetropia? 

Além dos óculos, lentes de contato podem gerar boa visão de perto e longe para pacientes portadores da hipermetropia. São as chamadas lentes de contato multifocais, e a sua indicação é direcionada aos pacientes acima dos quarenta anos de idade. Pacientes hipermétropes mais jovens podem usar lentes de contato mais simples, ou até mesmo optar pelas cirurgias refrativas. 

Os tratamentos para hipermetropia, quando corretamente indicados e aplicados, garantem altas taxas de sucesso na melhoria do quadro. 

Conheça a Oftalmologia Integrada

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a Hipermetropia, conheça a Oftalmologia Integrada!

O Sistema de Oftalmologia Integrada é uma rede de clínicas voltadas exclusivamente à Oftalmologia. Desde o início, nossos esforços estão em prestar um atendimento integral por meio de prevenção, diagnósticos precisos e tratamentos clínicos e cirúrgicos resolutivos.

Atualmente, a Oftalmologia Integrada atua em 3 grandes polos de saúde, Serra Gaúcha, Porto Alegre e Região Metropolitana, promovendo de modo sustentável e inovador a gestão de recursos na assistência oftalmológica.

Navegue pelo site da Oftalmologia Integrada e conheça os nossos serviços, convênios, especialidades e outros artigos que podem ajudar  a esclarecer as suas dúvidas sobre as doenças mais comuns de serem diagnosticadas nos consultórios oftalmológicos. E, se precisar, fique a vontade para entrar em contato conosco e agendar uma consulta

Categorias

Compartilhe nas suas Redes:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on skype
Skype

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Fique por dentro de todas as novidades do nosso portal

Astigmatismo

Astigmatismo em crianças: como tratar?

O Astigmatismo é uma condição visual que acomete mais de 70% da população e, por isso, precisamos ficar atentos aos seus sintomas e tratamentos. Principalmente na fase escolar, quando as crianças estão desenvolvendo relações de aprendizado e sociais. Saiba mais sobre o Astigmatismo em crianças clicando aqui!

Ver Notícia Completa »

Tudo sobre a Miopia!

A maior parte das pessoas apresenta o início dos sintomas da Miopia na puberdade, e a sua estabilização acontece até os 25 anos. Embora a taxa normal de evolução da Miopia seja essa, crianças menores podem ser míopes . Por isso é importante que, durante a fase de desenvolvimento da criança, as consultas oftalmológicas sejam marcadas com regularidade.

Ver Notícia Completa »
Presbiopia

Presbiopia: como tratar essa condição?

A Presbiopia é um dos principais problemas oculares em idosos, e ela é a dificuldade das pessoas enxergarem de perto depois dos quarenta anos. Mesmo que mantenham uma excelente visão para longe, as pessoas começam a não conseguir ler ou ver de perto com a mesma lucidez que tinham antes.

Ver Notícia Completa »