Cegueira

Cegueira

No Brasil, o dia 13 de dezembro alude ao Dia Nacional do Cego. Essa pauta é extremamente importante dentro da oftalmologia, pois em aproximadamente 70% dos casos de deficiência visual são evitáveis no caso de diagnóstico precoce.  A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, no mínimo, 36 milhões de pessoas no mundo possuem algum grau de deficiência visual.

O que é cegueira ou deficiência visual?

A visão é um instrumento de extrema importância para o desenvolvimento cognitivo e físico do ser humano. É através da visão que aprendemos habilidades básicas, como a comunicação e o desenvolvimento das funções motoras. Assim, quando há um comprometimento visual, torna o processo de desenvolvimento mais dificultoso.

O primeiro ponto a ser analisado é a divergência entre os termos cegueira e deficiência visual, em 1973, a OMS publicou um relatório técnico de n° 518 sobre a Prevenção da Cegueira, que padronizou o uso dos termos cegueira e deficiência visual.

Dessa forma, é considerado como deficiência visual o comprometimento da visão em diferentes graus (podendo ser leve, moderada ou total). E em casos de deficiência visual total é chamado de cegueira.

Quais são as causas da deficiência visual?

Quando analisamos sobre as causas de deficiência visual, é importante salientar que há diferenças entre a deficiência visual infantil e adulto. Quando analisamos os quadros de deficiência visual infantil, a grande maioria dos casos são decorrentes da falta de acompanhamento médico durante o período de pré-natal e durante a primeira infância. Por isso, falaremos, primeiramente, sobre a deficiência visual infantil.

Causas da deficiência visual infantil

Como citado acima, um dos fatores principais a serem analisados quanto às causas da deficiência visual infantil é a falta de um bom acompanhamento gestacional ou pré-natal. Assim, é considerado um problema de saúde pública, pois a grande maioria das famílias são de baixa renda ou possuem acesso limitado a informações.

Em seguida, outros fatores são considerados como desencadeadores da deficiência visual infantil que são atreladas a doenças infecciosas congênitas, ou seja, são infecções que a gestante desenvolve através da placenta passa para o bebê, causando graves consequências, em caso de não tratamento. São elas:

  • Toxoplasmose;
  • Herpes;
  • Citomegalovírus;
  • Sífilis;
  • E, atualmente, foi acrescentado na lista o Zika Vírus.

Outras causas da cegueira infantil podem ser evitadas com o acompanhamento oftalmológico durante a infância da criança. Em muitos casos a deficiência visual pode desenvolver após o nascimento como é o caso da catarata infantil (cerca de 15% dos casos de cegueira infantil são causados por essa doença), retinopatia de prematuridade (afeta cerca de 18% dos casos), glaucoma congênito (afeta até 18% dos casos) e, por fim, a atrofia ótica.

A atrofia ótica é um caso raro, resulta da desconexão das ligações nervosas que unem o olho ao cérebro.  E todas doenças possuem tratamento  a fim de evitar o comprometimento da visão da criança.

H4: Como é feita a prevenção da cegueira infantil?

A principal maneira de prevenção à cegueira infantil é o bom pré-natal. Em seguida, após o nascimento do bebê, é feita a realização do “Teste do Olhinho” ou “Teste do Reflexo Vermelho”. Esse teste já é obrigatório por legislação em diversos estados, tendo em vista a importância no diagnóstico precoce da cegueira infantil. Durante a realização do teste é possível diagnosticar casos de má formação ocular, catarata, glaucoma congênito, tumores e inflamações.

O teste do Reflexo Vermelho é realizado na maternidade, antes da alta e é realizado em todos os recém-nascidos. Trata-se de um teste simples que consegue identificar se há no recém nascido alguma alteração do reflexo de luz no fundo do olho.

Cegueira
Teste do Olhinho é realizado como diagnóstico para cegueira e doenças oculares.

Causas da deficiência visual na vida adulta

Diferente da relação de causas da deficiência visual infantil, na fase adulta algumas doenças podem ser a causa da deficiência visual, principalmente em caso não obter o diagnóstico precoce da doença. São elas:

  • Glaucoma
  • Retinopatia diabética
  • Atrofia do nervo óptico
  • Retinose pigmentar
  • Degeneração macular relacionada à idade (DMRI)

Assim, sempre falamos sobre a importância de manter uma rotina de acompanhamento com oftalmologista, para evitar consequências mais severas e realizar o tratamento adequado dessas doenças.

Conheça a Oftalmologia Integrada

O Sistema de Oftalmologia Integrada é uma rede de clínicas voltadas exclusivamente à oftalmologia. Desde o início, nossos esforços estão em prestar um atendimento integral por meio de prevenção, diagnósticos precisos e tratamentos clínicos e cirúrgicos resolutivos.

Atualmente, a Oftalmologia Integrada atua em 3 grandes polos de saúde, Serra Gaúcha, Porto Alegre e Região Metropolitana, promovendo de modo sustentável e inovador a gestão de recursos na assistência oftalmológica. Navegue pelo site e conheça os nossos serviços, convênios, especialidades e outros artigos que podem ajudar  a esclarecer as suas dúvidas sobre as doenças mais comuns de serem diagnosticadas nos consultórios oftalmológicos. E, se precisar, fique a vontade para entrar em contato conosco e agendar uma consulta.

Categorias

Compartilhe nas suas Redes:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no skype
Skype